quarta-feira, maio 16, 2007

Texto 3 - O quase assalto



Violência já faz parte de nossas vidas e só sentimos quando ela realmente nos alcança e nos deixa prostrados. Acabo de sofrer um "quase" assalto em plena via pública.
Voltando da academia, tive de passar na padaria para comprar alguns itens que faltavam na minha cozinha, voltava caminhando numa boa por uma rua tranquila, vizinha ao meu prédio. São 2 quarteirões apenas, e nunca havia tido problemas até hoje.
Na calçada, em sentido contrário um homem vinha em minha direção, já na distância de alguns metros anunciou que queria 2 minutos de minha atenção (ladrão burro!). De sacolas na mão obviamente eu disse que nao iria parar pois já tinha notado as intenções do babaca.... Havia um ônibus estacionado, a calçada e um grande muro, o local perfeito para uma abordagem nesse sentido. Sim, fui uma anta de seguir por alí, mas ele praticamente me conduziu. Então anunciou que tinha acabado de sair da prisão, estava armado, que se eu gritasse ou corresse, ele atiraria em mim. Numa fração de segundo notei que eu estava a 2 metros da esquina, para uma saída estratégica e a 10 metros da minha portaria, e sem sequer pensar, meti um soco na barriga do cara e acelerei, já calculando que ele não teria tempo de sacar uma arma, se é que ele portava uma. Certamente o tempo que ele levou pra recalcular sua ação, eu já tinha contornado a esquina. Ainda tive tempo de avisar a uma estudante que se dirigia para lá, que voltou comigo. Um grupo de outros estudantes já ouviram a narrativa, chamaram outro grupo e literalmente num bando de 40 justiceiros foram atrás do mané... de minha sacada pude observar o barraco formado no térreo, mas é claro que não pegaram o cara. Pelo menos deixei a noite do idiota menos produtiva, ponto pra mim.
Esta já é a segunda vez que enfrento um assaltante (da primeira arranquei um assaltante de dentro do carro de meu amigo que tentava roubar o CD player dele), de certa forma, não pretendo assumir minha porção de sorte nesse sentido... Cara de pau é uma coisa, mas botar o pescoço em risco reagindo a uma tentativa de assalto certamente não é a melhor saída. Fica a lição de estar atento e não utilizar ruas suspeitas depois das 21:00 horas.
Ficar esperto é obrigação de todos. Facilitar jamais.

2 comentários:

  1. Não... você realmente ri da cara do perigo e das coisas que acontecem... Tá se achando clark kent ou peter parker?

    Ainda bem que nao deu nada errado.. ufa!

    ResponderExcluir
  2. seu locoooooooooooo
    saudade
    adorei te ver ontem
    mil beijos

    ResponderExcluir